Náutico vence clássico eletrizante

Não faltou emoção no primeiro clássico dos clássicos da final do Campeonato Penrmabucano. Náutico e Sport fizeram um jogo eletrizante e o timbu acabou vencendo por 3×2. O time alvirrubro chegou a abrir 3×0, mas permitiu a reção rubro-negra. Enquanto que o Náutico jogará pelo empate na partida da volta, o Sport precisa de uma vitória simples para ser campeão.

O Náutico foi ousado, mais uma vez na escalação. Gallo optou por três atacante e ainda Carlinhos Bala no meio de criação. Isso fez do time uma equipe mais objetiva no ataque. Com liberdade, o time alvirrubro abriu o marcador aos dez minutos de jogo. Rodrigo Dantas foi lançado, ganhou na velocidade, entrou na área e chutou, na saída de Magrão, para o fundo do gol. O time se empolgou e o Sport tentava reagir. O jogo era equilibrado em posse de bola, mas faltava qualidade aos rubro-negros para finalizar. Os alvirrubros eram mais objetivos.

Aos 24 minutos, Geílson avançou e cruzou para Bruno Meneghel que chutou. Magrão fez uma grande defesa e mandou para escanteio. Dois minutos depois, o timbu ampliou o marcador. Livre de marcação, porém em condição irregular, Bruno Meneghel recebe na meia-lua, entrou na área e bateu, sem chances para Magrão. O Sport tentou reagir, mas esbarrava na marcação alvirrubra e na falta de passe com qualidade. Aos 40 minutos, Eduardo Ramos, do Sport, e Zé Carlos foram expulsos pelo árbitro Marcelo de Lima Henrique após uma confusão iniciada com uma dividida entre Glédson e Leandrão. O jogo ganhou ares de nervosismo e foi para o intervalo sem alteração no marcador.

No segundo tempo, o Sport voltou mostrando as mesmas falhas de marcação. E o Náutico seguia mais consistente em campo. Aos três minutos, Bruno Meneghel recebe livre pela esquerda, entrou na área e chutou, Magrão salvou com o pé. O Sport ia para o ataque e o Náutico jogava no contra-ataque. E foi assim que o timbu quase ampliou aos oito minutos. Geílson tocou para Bruno Meneghel chutar e Magrão defendeu. Até que aos  dez minutos saiu o terceiro gol alvirrubro. Igor tentou recuar a bola, mas deu de presente para Bruno Meneghel que avançou e tocou para Carlinhos Bala. O atacante só teve o trabalho de bater por baixo de Magrão e fazer 3×0 para o Náutico.

Era uma duxa de água fria no Sport. As esperanças de reação no jogo e do título desaminou a torcida. Mas o time não se entregou e continuou buscando o gol. A insistência do Sport em chegar ao ataque deu resultado apenas aos 24 minutos. Após cobrança de falta ensaiada, Zé Antônio chutou, a bola desviou na zaga e foi morrer no fundo do gol de Glédson. O time rubro-negro se empolgou e foi com mais vontade ao ataque. O Náutico sentiu o golpe. E aos 26 minutos, o Sport diminuiu ainda mais o placar. Nova cobrança de falta ensaiada e Tobi foi lançado na área. O zagueiro rubro-negro bateu forte no meio do gol, sem chances para Glédson.

O Náutico sentiu de vez a reação do Sport. O time leonino cresceu ainda mais no jogo. E por pouco não empatou. Aos 30 mminutos, Leandrão subiu mais que os zagueiros e cabeceou. Glédson, no susto, fez uma grande defesa e salvou o Náutico. No minuto seguinte, o mesmo Leandrão entrou na área e chutou cruzado. Glédson fez outra excelente defesa e garantiu o resultado. Os minutos finais do jogo foram de muita vontade, mas pouco lance de perigo. O Náutico não tinha mais tanta qualidade na objetividade ofensiva. E o Sport tentava empatar, mas esbarrava no cansaço e na marcação adversária. Com isso, o placar não alterou-se até o fim do jogo.


Opinião

Foi um grande jogo. O Resultado não foi justo. O Empate seria mais condizente com o que foi o jogo. O Náutico venceu por ter sido mais competente nas finalizações. Foram dois tempos bem diferentes. O primeiro tempo, o Náutico jogou com muita liberdade ofensiva. Não dá para entender como o Sport entra com três zagueiros e dois volantes e deixa o time alvirrubro com tanta folga. Os dois gols foram totais falhas de marcação do leão. Superior, o Náutico foi para o intervalo com uma vitória justa.  E o Sport, além do placar adverso perdeu seu principal homem de armação.

No segundo tempo, as mudanças equilibraram o jogo. Mas o Náutico ainda voltou mais perigoso. Jogando no contra-ataque, os alvirrubros tinham facilidade para entrar na zaga rubro-negra. E foi assim que chegou ao terceiro gol. O Sport foi reagindo e em dois lances de bola parada diminuiu o placar. Mas pela empolgação e pelas tentativas que criou, o Sport merecia o empate. Gledson fez duas grandes defesas. O Náutico sentiu o golpe dos gols e não teve mais força para reagir. O Resultado final poderia ter sido outro se dependesse da vontade dos jogadores do Sport nos minutos finais. Mas prevaleceu o cansaço e a forte marcação alvirrubra.

As duas equipes voltam a se enfrentar na quarta-feira, 05, na grande decisão. O Náutico precisa apenas do empate. E ainda joga pela derrota por um gol de diferença de 4×3 para cima. Já o Sport tem que ganhar ou por 1×0 e 2×1 ou por dois gols de diferença. Um 3×2 para o Sport leva a decisão para os pênaltis.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: