Classificação do Campeonato Pernambucano atualizada

Veja como ficou a classificação do Campeonato Pernambucano após a vitória do Sport que fechou a 7ª rodada. O Leão subiu para o 5º lugar e se reaproximou do G4.

 

Posição Time PG JG V E D GP GC SG
Central 19 07 06 01 00 13 05 +8
Santa Cruz 18 07 06 00 01 13 06 +7
Porto 15 07 05 00 02 10 08 +2
Náutico 14 07 04 02 01 13 05 +8
Sport 11 07 03 02 02 05 05 00
Petrolina 11 07 03 02 02 09 10 -1
Salgueiro 10 07 03 01 03 04 03 +1
Araripina 07 07 02 01 04 06 09 -3
Cabense 06 07 01 03 03 05 07 -2
10º Vitória 04 07 01 01 05 04 10 -6
11º Ypiranga 03 07 01 00 06 06 11 -5
12º América 01 07 00 01 06 02 11 -9

Legenda

JG – Jogos disputados

PG – Pontos Ganhos

V – Vitórias

E – Empates

D – Derrotas

GP – Gols Pró (Gols Marcados)

GC – Gols Contra (Gols Contra)

SG – Saldo de Gols

Zona de classificação para as semifinais

Zona de classificação para o troféu do Interior

Zona de Rebaixamento

 

Anúncios

Sport vence com gol de goleiro

O Sport conseguiu uma vitória histórica na noite desta segunda-feira, 31. O Leão bateu o Vitória por 2×1 na Ilha do Retiro com um gol salvador do goleiro Saulo. O Arqueiro rubro-negro foi para área nos acréscimos e de cabeça marcou o gol da vitória. Ele acabou se machucando na comemoração e preocupa. Com o triunfo histórico o Sport subiu para a 5ª colocação com 11 pontos ganhos. Já o Vitória segue próximo da zona do rebaixamento com quatro pontos e ocupando o 10º lugar.

O Leão começou o jogo explorando a lateral-direita com o estreante Thiaguinho. Mas sem entrosamento e um meio de criação com qualidade para auxiliar o lateral, o Sport não conseguia finalizar com perigo. A primeira chance consistente veio aos 25 minutos em um chute de Wellington Saci, bem defendido por Jaílson. A resposta do vitória veio cinco minutos depois com um chute de Paulo Victor e uma grande defesa de Saulo. Apesar de dominar o jogo o Sport só abriu o placar aos 37 minutos. Após um corte desprentecioso, a zaga do Vitória deu bobeira, Ciro dominou e deu um passe na medida para Thiaguinho que entrou na área e chutou cruzado sem chances para Jaílson. Era o alívio para o time rubro-negro e sua torcida que foi para o intervalo mais animada e esperançosa.

No segundo tempo o Vitória apertou mais a marcação e cresceu no jogo. O Sport ainda tentou ampliar com Alessandro no primeiro minutos, mas Jaílson evitou.  E o tricolor das tabocas respondeu de forma fatal. Aos três minutos, uma rápida cobrança de falta, descuido da defesa rubro-negra e Diego Fiúza cruzou para Robertinho empurrar para as redes e empatar a partida. Aí o Sport se perdeu em campo. Errando muitos passes e sem qualidade no meio, o time rubro-negro pouco ofereceu perigo.

Geninho tentou colocar a equipe para cima pondo Wilson no lugar de Germano. Mas o time não rendia e a paciência da torcida se esgotava. As vaias começaram a aparecer e a pressão para cima de Geninho era grande. Ele ainda tirou Thiaguinho, cansado, para colocar Joédson, para desespero da torcida. O Vitória quase se aproveita para virar o jogo. Diego Fiúza ganhou de Tobi e chutou, a bola passou muito perto do travessão.

Quando tudo parecia não dá certo. Quando o Sport pressionava, mas não alcançava o gol. Surgiu o herói leonino. Aos 46 minutos, falta na entrada da área puxando para a lateral. Carlinhos Bala foi para a cobrança. A torcida começou a gritar para Saulo ir para a área. E autorizado por Geninho, ele foi. Bala cruzou e a bola foi certeira na cabeça de Saulo que mandou para o fundo das redes, desempatando o jogo.  A torcida enlouqueceu de alegria. O Êxtase foi tanto que o goleiro acabou torcendo o joelho direito na comemoração.

Como já havia feito todas as alterações, Geninho tinha que improvisar alguém para ser goleiro. E Carlinhos Bala foi o responsável. Os minutos finais foram de festa e drama. Cada bola tirada era uma festa. E Carlinhos Bala ainda fez uma grande intervenção após cobrança de escanteio. Depois deste lance o juiz encerrou a partida para o delírio dos jogadores e da torcida presente ao estádio.

Opinião

Um jogo realmente histórico. O Sport jogou mal e foi, literalmente salvo pelo seu goleiro. O time rubro-negro fez uma apresentação regular no primeiro tempo. Explorou bastante o lateral-direito Thiaguinho que mostrou tranquilidade. E na única bola bem trabalhada fez o gol. Ciro acreditou em uma bola onde a zaga adversária falhou e deu um passe perfeito para Thiaguinho estufar as redes. No segundo tempo o Vitória fez um gol logo cedo e isso acabou com o Sport. A impaciência da torcida, a falta de entrosamento do time e de qualidade no meio-de-campo fizeram o time não se achar em campo.

Nos minutos finais a equipe leonina tentou pressionar na base do abafa. E conseguiu o gol de forma histórica. Parabéns ao goleiro Saulo. Este gol foi a cara dele, um jogador guerreiro e que honra a camisa do time. Acreditou em seu potencial, foi para a área e subiu corretamente para cabecear a bola. É uma pena que tenha se machucado na comemoração. Fica a torcida para que não seja nada grave.

O Mais importante foi a vitória ter sido conquistada na raça. Mas que ela não apague as falhas do Sport. O time ainda precisa melhor, principalmente no setor de criação. Fabrício não aparece, não dá opção aos companheiros e as bolas só chegam para os atacante através de lançamentos longos. Geninho precisa organizar melhor esse time. A marcação precisa ser aperfeiçoada também. O Gol sofrido foi pura desatenção. O Prazo que eu tinha dito era 9ª rodada tanto para Sport quanto para o Náutico e vou esperar até lá para fazer uma critica maior se for necessário. Espero que não seja para ambas as equipes.

Na próxima rodada, o Sport encara o líder Central às 20hs de quinta-feira, 03, na Ilha do Retiro. No mesmo dia e horário o Vitória encara o América no estádio Ademir Cunha, em Paulista.

Sport quer recomeçar diante do Vitória

Passada toda a maratona de jogos das primeiras rodadas do Campeonato Pernambucano, o Sport pretende tomar um novo rumo na competição. Para dirigentes, comissão técnica e jogadores o campeonato começa nesta segunda-feira, 31, diante do Vitória na Ilha do Retiro. O jogo válido pela 7ª rodada da competição servirá como ponto de partida para a reabilitação rumo ao título. Mas o Vitória também busca a recuperação no campeonato e quer estragar os planos rubro-negros.

Para este jogo o técnico Geninho ganhou o desfalque do goleiro Magrão. Ele sentiu o desgaste fisíco dos primeiros jogos e reclamou de dores. Por isso será poupado. Saulo entra como titular. Por outro lado o treinador ganha dois reforços para a partida. O Lateral-direito Thiaguinho, finalmente, foi regularizado e vai poder estrear com a camisa rubro-negra. E o atacante Ciro volta depois de passar alguns dias se dedicando ao treinamento fisíco e também ao trabalho psicológico para superar a perda do pai. Carlinhos Bala será o companheiro de Fabrício no meio de criação e o restante do time é o mesmo que vinha jogando.

No lado do Vitória a pressão por um bom resultado também é grande. O Tricolor das Tabocas tem apenas quatro pontos e ocupa o 10º lugar. A equipe precisa vencer para afastar uma crise e evitar a queda do técnico Peu Santos. Para este jogo o técnico contará com o atacante Alan Rocha que substituíra Wellinto, que foi dispensado junto com outros jogadores. A única dúvida é Paulo Victor. O meio-campista está sentindo dores e será reavaliado para ver se tem condições de jogo. O técnico Peu Santos só divulgará a escalação oficial quando o time chegar na Ilha do Retiro.

 

Ficha do Jogo

Campeonato Pernambucano 2011

7ª rodada

Local: Estádio da Ilha do Retiro, no Recife-PE

Horário: 19h30

 

Sport: Saulo; Thiaguinho, Tobi, André Astorga e Wellington Saci; Daniel Paulista, Germano, Fabrício e Carlinhos Bala; Ciro e Alessandro

Técnico: Geninho

 

Vitória: Jaílson;Joel Kiki, Clayton e Marcelo; Diego Fiuza, Aguimeron, Edvan, Paulo Victor(Robertinho), John e Lucian; Alan Rocha

Técnico: Peu Santos

 

Árbitro: Emerson Sobral

Assistentes: Erich Bandeira e Elan Vieira

Classificação do Campeonato Pernambucano

Veja como está a classificação do Campeonato Pernambucano. Lembrando que a 7ª rodada só se encerra nesta segunda-feira, 31, com o jogo entre Sport x Vitória.

O Central é o líder após vencer o clássico contra o Porto. O Santa Cruz perdeu o clássico das emoções para o Náutico e deixou a liderança. O Petrolina subiu na tabela ao vencer o Ypiranga. O América segue sua saga na lanterna com mais uma derrota, desta vez para o Salgueiro. Enquanto que o Araripina venceu a Cabense e se distanciou da zona do rebaixamento.

Eis a classificação atualizada:

Posição Time PG JG V E D GP GC SG
1º   Central 19 07 06 01 00 13 05 +8
Santa Cruz 18 07 06 00 01 13 06 +7
Porto 15 07 05 00 02 10 08 +2
Náutico 14 07 04 02 01 13 05 +8
Petrolina 11 07 03 02 02 09 10 -1
Salgueiro 10 07 03 01 03 04 03 +1
Sport 08 06 02 02 02 03 04 -1
Araripina 07 07 02 01 04 06 09 -3
Cabense 06 07 01 03 03 05 07 -2
10º Vitória 04 06 01 01 04 03 08 -5
11º Ypiranga 03 07 01 00 06 06 11 -5
12º América 01 07 00 01 06 02 11 -9

Legenda

JG – Jogos disputados

PG – Pontos Ganhos

V – Vitórias

E – Empates

D – Derrotas

GP – Gols Pró (Gols Marcados)

GC – Gols Contra (Gols Contra)

SG – Saldo de Gols

Zona de classificação para as semifinais

Zona de classificação para o troféu do Interior

Zona de Rebaixamento

A Arbitragem do Clássico

Lamentávelmente, mais uma vez, a arbitragem chama a atenção de forma negativa em um clássico do Campeonato Pernambucano. Erros grosseiros, falta de critérios e um segundo tempo conturbado marcaram a atuação de Nielson Nogueira e seus assistentes no clássico das emoções neste domingo, 30.

No primeiro tempo, o quinteto de árbitros passou quase ileso. Tiveram uma boa atuação. O único porém foi um lance onde o volante Éverton, do Náutico fez falta em Mário Lúcio e com o jogador no chão Everton acertou um chute na coxa de Mário. Era para cartão vermelho, pois a bola já estava fora do lance e o juiz já tinha marcado a falta na hora do chute. Teve um lance passou despercebido por muitos, mas me chamou a atenção. Foi um momento em que o árbitro tentou se impor, mas exagerou. Ao discutir com Thiago Matias, Nielson peitou o jogador do Santa Cruz ao invés de ficar só na conversa.  A não ser estes dois fatos o árbitro e seus assistentes se saíram bem na etapa inicial.

Mas no segundo tempo… Tudo ia bem até os 23 minutos. Em uma dividida a bola sobrou para o zagueiro Thiago Matias, do Santa Cruz. E na hora que ele iria chutar foi calçado por Ricardo Xavier. Pênalti claro e indiscutível. Porém, nada foi marcado. Na minha opinião o erro foi do árbitro Nielson Nogueira, do assistente Pedro Wanderley e do assistente adicional. Estes dois últimos tinham uma visão melhor do lance e não auxiliaram o juiz como deveriam fazer.

A partir deste lance o Nielson Nogueira Dias se perdeu em campo. Além de deixar o tim do Santa Cruz nervoso em campo, ele também pareceu ter ficado um pouco nervoso. Exagerou na distribuição de cartões amarelos para ambos os lados. E marcou um pênalti duvidoso para o Náutico. Na minha opinião, o goleiro do Santa teve a intenção de parar o jogador alvirrubro, entretanto o toque da mão dele no joelho de Ricardo Xavier não foi suficiente para a queda. Ricardo deu uma valorizada muito grande. As expulsões de Elicarlos e Thiago Cunha foram desnecessárias. Um amarelo era suficiente. Já a de Weslley foi merecida. O Jogador já tinha amarelo e deu um soco na bola, reclamando de uma falta que já havia sido marcado. Ou seja, pediu para ser expulso.

Se fosse para dá uma nota para o juiz daria 4,5. Para os assistentes as notas seriam diferenciadas. Jossemar Diniz merece um 7. Pedro Wanderley 6. E os dois assitentes adicionais ficam com 5.

Quero deixar claro que apesar de ter errado muito contra  o Santa Cruz, Nielson Nogueira Dias não pode ser responsabilizado pela vitória do Náutico. Ele errou, mas não tem culpa do time do Santa ter se desestabilizado tanto. Volto a dizer que o time tricolor sentiu a falta de um líder dentro de campo para acalmar a equipe. Não se justifica um time que vem fazendo uma campanha tão brilhante ficar tão desesperado dentro de campo.

Ainda assim, espero que atitudes sejam tomadas por parte da federação para que os árbitros não voltem a manchar a imagem de qualquer jogo deste campeonato, especialmente um clássico. Que a comissão de arbitragem aconselhe os árbitros para terem tranquilidade em campo e não se perder emocionalmente o que leva aos erros graves.

 

Náutico vence clássico e tira invencibilidade do Santa

O Náutico venceu o primeiro Clássico das Emoções do Campeonato Pernambucano. O Timbu saiu perdendo, virou o jogo e venceu por 3×1. Com isso o Santa Cruz perdeu a invencibilidade e a liderança do Campeonato Pernambucano. Agora o time tricolor é o 2º colocado com 18 pontos. Já o Náutico segue na 4ª posição alcançando a marca de 14 pontos ganhos.

O Clássico começou com o Santa Cruz saindo na frente do placar. Logo aos três minutos, Jackson cruzou e Thiago Cunha apareceu, livre, na área e cabeceçou no contrapé de Gledson. O Náutico voltou a mostrar fragilidade na marcação do artilheiro do campeonato e por pouco o tricolor não faz o segundo gol rapidamente. Aos seis minutos, Thiago Cunha foi lançado e cara a cara com Glédson tentou encobrir o goleiro alvirrubro, mas a bola foi por cima do gol para tiro de meta. Aos poucos o Náutico foi tocando a bola e chegando ao ataque. Aos 13 minutos, Eduardo Ramos fez grande jogada, driblou dois adversários e chutou para grande defesa de Thiago Cardoso. No minuto seguinte o time alvirrubro empatou a partida. O mesmo Eduardo Ramos cobrou escanteio, Walter escorou, de cabeça, e Ricardo Xavier apareceu livre para cabecear para o fundo do gol e deixar tudo igual nos Aflitos.

O Santa Cruz sentiu o golpe sofrido com o gol do empate. E o Náutico exerceu o domínio da partida. Aos 17 minutos, Bruno Meneghel fez boa joagada e tocou para Eduardo Ramos que chutou cruzado, mas errado. Aos 20 minutos, Bruno Meneghel cruzou, Ricardo Xavier ajeitou e William chutou, mas Tiago Cardoso fez outra boa defesa, salvando o Santa Cruz. A partir daí o jogo diminuiu um pouco o ritmo, ficou mais equilibrado. As equipes buscavam atacar, mas não conseguiam chegar com perigo ao ataque e o empate permaneceu até o intervalo do jogo.

O Segundo tempo começou muito truncado e equilibrado. As equipes encontravam dificuldades para chegar ao gol. A primeira finalização do Santa foi um chute fraco de Alexandre aos nove minutos, fácil para a defesa de Gledson. O Náutico só chegou aos 17 minutos quando Derley ajeitou para Bruno Meneghel, na entrada da área. Mas o atacante alvirrubro chutou mal para fora.

Eis que um lance aos 23 minutos mudou a rotina do jogo. Thiago Matias foi derrubado na área de ataque por Ricardo Xavier. Mas o juiz Nielson Nogueira Dias não marcou pênalti para desespero dos jogadores do Santa Cruz. A partir daí o time tricolor ficou nervoso. No minuto seguinte o goleiro Tiago Cardoso acabou saindo de campo machucado. Deu lugar à André Zuba. E para piorar a situação o Náutico virou o jogo aos 25 minutos. Derley arrancou pela lateral, driblou dois zagueiros e chutou no ângulo de André Zuba, um golaço.

O Náutico se empolgou junto com a torcida. E o Santa ficou ainda mais nervoso. Aos 32 minutos, outro lance polêmico. Eduardo Ramos fez grande jogada e chutou, André Zuba espalmou e a bola sobrou para Ricardo Xavier, o goleiro tricolor colocou a mão no joelho do jogador alvirrubro que caiu na área. O juiz marcou pênalti. Na cobrança, Bruno Meneghel bateu forte no meio do gol, sem chances para André Zuba. A partir daí o Náutico administrou o resultado e tentou ampliar aproveitando-se do desespero do Santa.

O Jogo ficou muito nervoso e mais truncado nos minutos finais. Aos 44 minutos, Nielso Nogueira Dias expulsou Elicarlos, do Náutico, e Thiago Cunha do Santa Cruz após dividida. Completamente desestabilizado o Santa não teve forças para reagir e ainda viu o meia Weslley ser expulso por reclamação. Restou ao Náutico celebrar a vitória e ao Santa reclamar do árbitro após o apito final.

 

Opinião

Resultado merecido. O Náutico foi um pouco superior ao Santa Cruz e mereceu a vitória. O time alvirrubro levou mais perigo à meta adversária e teve mais volume de jogo. O Santa Cruz não soube administrar a vantagem, se deixou se pressionado, sentiu o gol do empate e por fim se desestabilizou completamente ao não ter um pênalti marcado à seu favor. O time se perdeu emocionalmente em campo e facilitou ainda mais as coisas para o timbu.

O Náutico surpreendeu na escalação com um 4-4-2. Apresentou falhas de marcação, principalmente no primeiro tempo quando Elicarlos e Derley se perderam no revezamento na lateral-direita e a zaga não conseguia marcar Thiago Cunha. Mas o time mostrou ter jogadores de qualidade, soube tocar bem a bola e dominar a partida, principalmente no primeiro tempo. Soube também explorar os erros do adversário. Eduardo Ramos e Derley fizeram a diferença. Mostraram qualidade individual e coletiva e comandaram o time na virada para cima do Santa.

Já o time tricolor começou surpreendendo ao abrir o placar nos primeiros minutos. Mas o time recuou, esperando o Náutico para sair no contra-ataque. Teve a chance de fazer 2×0 e não aproveitou. Sentiu o golpe do gol de empate. Voltou bem para o segundo tempo, mas se desestabilizou ao não ter um pênalti não marcado a seu favor. Um time que liderava o campeonato com um grande campanha, tinha folga na liderança e poderia se dá por satisfeito com o empate no clássico, jamais poderia se descontrolar emocionalmente tanto quanto aconteceu. Faltou tranquilidade, faltou alguém dentro de campo que acalmasse o time. Talvez o resultado teria sido outro se o time não ficasse tão nervoso na reta final da partida. Zé Teodoro foi consciente em sua coletiva e vai ter que trabalhar o lado emocional do grupo. Perder um clássico é ruim, mas não é o fim do mundo não. O time tem futebol suficiente para reagir na competição e brigar por uma das quatro vagas. Mas precisa se acalmar.

Da arbitragem vou falar em um texto separado. Apenas deixar claro que apesar de ter cometido erros graves, não pode ser responsabilizado pelo resultado. Tenho o pensamento que pênalti não marcado não pode ser usado como desculpa para derrota. Afinal ninguém sabe se ele seria convertido. O Santa ficou nervoso, desnecessariamente, e não soube superar um erro do árbitro.

Na próxima rodada o Náutico joga na quarta-feira, 02, contra o Ypiranga às 21hs no estádio dos Aflitos. Já o Santa Cruz volta à campo na quinta-feira, 03, às 20hs contra o Porto, em Caruaru.

Central vence clássico e assume liderança

O Central é o novo líder do Campeonato Pernambucano 2011. A Patativa do Agreste venceu o clássico matuto contra o Porto por 3×2. E como o Santa Cruz perdeu para o Náutico, o time alvinegro de Caruaru pulou para a ponta da tabela. Agora o Central tem 19 pontos ganhos. Já o Porto segue em 3º lugar com 15 pontos.

O Clássico caruaruense foi emocionante. O Porto abriu o placar aos 11 minutos com Paulista que pegou o rebote de uma cobrança de falta de Sandro Miguel na trave. O Central não se intimidou e virou o placar ainda na etapa inicial. Aos 38 minutos, Wilson Surubim empatou o jogo para os centralinaos. E três minutos depois, Danilo Pitbull virou o placar cobrando pênalti.

No segundo tempo, o Porto empatou a partida com um golaço de Sandro Miguel cobrando falta aos três minutos. E o gol da vitória e da liderança do Central veio aos 36 minutos. Outro pênalti e Danilo Pitubull cobrou para o fundo das redes, decretando a vitória alvinegra no clássico matuto.

O Central volta à campo na quinta-feira, 03, para enfrentar o Sport na Ilha do Retiro às 20hs. Já o Porto recebe o Santa Cruz no Luís Lacerda, em Caruaru no mesmo dia e horário.