Santa tenta classificação histórica

Para tentar fazer, mais uma vez, história na Copa do Brasil, o Santa Cruz entra em campo nesta quinta-feira, 22, para encarar o Atlético-GO. A disputa é por uma vaga nas quartas-de-finais da competição. Como perdeu o jogo da ida, em casa, por 2×1, o tricolor tem que vencer por dois gols de diferença o por um gol a partir do 3×2. Vitória do Santa por 1×0, empate ou vitória do atleticana classificam o time goiano.

Para o jogo, o técnico Dado Cavalcanti conta com o retorno do volante Léo e do zagueiro Leandro Cardozo. Porém, terá o desfalque do também zagueiro Alysson, suspenso. O treinador não revelou qual a formação tática nem a escalação do time para a partida. Mas ele deve manter a base com o Leandro Cardozo na zaga e Léo retornando no lugar de Dedé.

O Atlético-GO vem empolgado por ter se classificado para a final do Campeonato Goiano ao eliminar o Goiás. Com a vantagem do empate e até da derrota por 1×0, o Dragão deve jogar cautelosamente para não ser surpreendido pelo Santa Cruz. A única novidade deve ser a volta de Elias ao time titular no lugar do volante Ramalho.

O Santa tem condições de passar de fase. Mas para isso precisa apresentar o futebol das partidas contra o Botafogo. Se jogar do mesmo jeito que na primeira partida ou em partidas do Pernambucano, aí será facilmente eliminado. Mas tem acreditar torcedor. Mande vibrações positivas e acredite até o último instante possível na classificação do Santa Cruz.

Boa Sorte ao Santa Cruz!!!

Ficha do Jogo

Copa do Brasil

Oitavas-de-finais

Jogo da Volta

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)

Horário: 21hs


Atlético-GO: Márcio; Márcio Gabriel, Gilson, Wescley e Thiago Feltri; Agenor, Robston, Pituca e Elias; Rodrigo Tiuí e Juninho

Técnico: Geninho

Santa Cruz: Tutti; Gilberto Matuto, Leandro Cardoso, Luiz Eduardo e Edson Miolo; Goiano, Léo (Dedé), Jackson e Élvis; Joelson e Brasão.

Técnico: Dado Cavalcanti

Árbitro: Jaílson Macedo de Freitas (BA)

Assistentes: Luís Carlos da Silva Teixeira (BA) e Adson Márcio Lopes (BA)

Anúncios

Resultados da Copa do Brasil

Além de Sport 0x2 Atlético-MG outros cinco jogos agitaram o feriado desta quarta-feira, 21, pelas oitavas-de-finais da Copa do Brasil. Destaque para a classificação de Palmeiras, Grêmio e Vasco. Santos e Vitória já tinham uma enorme vantagem e apenas confirmaram suas vagas. O Detalhe curioso é que em toda a rodada apenas um time mandante conseguiu sair classificado, foi o Vasco. Os demais foram eliminados em casa.

Veja abaixo os resultados dos jogos da volta. Lembrando que Atlético-GO x Santa Cruz e Fluminense x Portuguesa fecham a rodada nesta quinta-feira, 22.

Vasco  2×1  Corinthians-PR  (jogo da ida: Vasco 1×0)

Sport  0x2  Atlético-MG (jogo da ida: Atlético-MG 1×0)

Avaí  3×2  Grêmio (jogo da ida: Grêmio 3×1)

Guarani  3×2  Santos (jogo da ida: Santos 8×1)

Goiás  2×2  Vitória (jogo da ida: Vitória 4×0)

Atlético-PR  1×1  Palmeiras* (jogo da ida: Palmeiras 1×0)

* O Palmeiras será o adversário do vencedor de Atlético-GO x Santa Cruz

Avaliação dos jogadores

A partir desta quinta-feira, 22, o Blog Pernambuco Nas Quatro Linhas vai apresentar várias novidades para você. E uma delas é a avaliação do desempenho dos jogadores dos times pernambucanos nas competições nacionais. A princípio, a avaliação será feita apenas em jogos realizados no Recife e/ou em jogos transmitidos pela tv. E será feita apenas em jogos de competições nacionais, portanto não haverá no Campeonato Pernambucano.

Vamos então à avaliação dos jogadores do Sport na partida contra o Atlético-MG:

Magrão – Seguro como sempre. Falhou um pouco no primeiro gol, mas não teve culpa no segundo. Na etapa final foi bem quando exigido e segurou o resultado. Nota: 5,5

Igor – Foi o mais seguro dos zagueiros, mas ainda assim ficou devendo em relação ao que sabe jogar. Nota 4,5

Cesár – Muito mal na marcação. Os dois gols foram nas suas costas. Tem muito o que melhorar. Nota: 3,5

Ricardinho – Entrou com disposição, mas faltou qualidade técnica. Ajudou muito na criação, mas ficou devendo na hora do passe final para os atacantes. Nota: 4,5

Tobi – Deu algumas bobeiras no primeiro tempo. Melhorou um pouco na etapa final, mas não convenceu. Nota: 4

Júlio Cesár – Foi muito mal, pior do Sport em campo. Não mostrou ainda para que veio para a Ilha do Retiro. Apoia mal, tem um passe muito ruim e marcação fraca. Nota: 2

Eduardo Ratinho – Entrou no final, não tinha muito o que fazer. Não foi bem no apoio e só atrapalhou os ataques. Nota: 3,5

Daniel Paulista – Não foi bem. Muito abaixo do seu potencial. Deu muita liberdade em alguns momentos. Nota 4,5

Zé Antônio – O Melhor do time em campo. Deu garra, tinha determinação. Cumpriu bem sua função de marcação. Foi o mais seguro em campo. Nota: 7

Eduardo Ramos – Começou muito afobado. Depois se acalmou e passou a ser o centro dos ataques do Sport. Mas passou longe do Eduardo Ramos maestro do time do Sport. Cansou no final do primeiro tempo e passou a segunda etapa apagado. Nota: 4

Dairo – Prende demais a bola. Se atrapalha na hora de tentar concluir as jogadas. Há muito tempo que não vem merecendo ser o titular no ataque. Nota: 3,5

Pedro Júnior – Pouco acrescentou ao time. Tentou ser uma presença na área em bolas aereas, mas não contribuiu em nada. Se atrapalhou com a bola quando recebeu em boas condições. Nota: 4

Ciro – Nervoso demais no primeiro tempo. Tomou um amarelo infantil e depois ainda deu um carrinho que se atinge era para cartão. Só recebia bola difícil e não conseguiu se livrar da marcação forte do adversário. Precisa melhorar para voltar a ser o Ciro, artilheiro do Pernambucano e que virou ídolo no clube. Nota: 4

Givanildo Oliveira – Colocar o time recuado já foi duvidoso, e manter o time mesmo com a derrota e a péssima qualidade do futebol apresentado pela equipe foi pior ainda. Pecou pela falta de ousadia e pela naturalidade que encarou a atuação abaixo do esperado do seu time. Nota: 3,5

Sport perde e está eliminado da Copa do Brasil

Mais de 28 mil torcedores encheram a Ilha do Retiro para apoiar o Sport para cima do Atlético-MG. Um grande e bonita festa nas arquibancadas do estádios. Mas a festa parou antes do final do primeiro tempo do jogo. O Sport não conseguiu superar a marcação do Atlético-MG e perdeu por 2×0. Com o resultado o leão está eliminado da Copa do Brasil. Já o time mineiro vai para as quartas-de-finais onde enfrentará o Santos-SP.

O Sport começou o jogo em cima tentando chegar na base do abafa e da empolgação da torcida. Mas o Atlético-MG veio bastante fechado. Com isso o time pernambucano não conseguia finalizar. O time mineiro apostava nos contra-ataques. Aos 20 minutos, Fabiano foi lançado, entrou na área e cruzou. A bola passou por Magrão e Muriqui completou para as redes, abrindo o placar na Ilha. O Sport sentiu o golpe e caiu de produção. O Atlético-MG se fechou ainda mais e no contra-ataque chegou ao segundo gol. Aos 39 minutos, Diego Tardelli foi lançado, ganhou dos zagueiro e ao entrar pela lateral da área chutou cruzado na saída de Magrão para o fundo das redes. Com o 2×0, a torcida esfriou e o time do Sport ainda mais.

No segundo tempo, Givanildo Oliveira colocou Pedro Júnior e Ricardinho. Mudou o esquema tático. O Sport voltou do mesmo jeito que começou o jogo. Tentou ir para cima e no abafa chegou ao gol, mas faltou qualidade. Aos poucos, o Atlético foi neutralizando as jogadas do Sport. A paciência da torcida foi ficando cada vez menor e a qualidade técnica do Sport cada vez pior. O time rubro-negro só conseguiu dá um chute a gol. Júlio Cesár chutou de fora da área e Aranha se esticou para fazer uma grande defesa. E foi o único lance de perigo. O time criava, mas não conseguia assustar o adversário. O Atlético-MG até tentou criar jogadas de perigo, mas passou longe de ter vontade de ampliar o marcador. Magrão segurou as poucas investidas mineira. Restou a torcida lamentar e reclamar do time e do técnico. E o sonho de repetir 2008 foi por água abaixo.

Opinião

Resultado justo. O Atlético-MG deu um nó tático no Sport. Ou melhor Vanderlei Luxemburgo deu um grande nó tático em Givanildo. E para piorar o Sport fez a sua pior partida na temporada. Foi uma atuação pifía. O time até entrou com vontade de fazer o gol, muito baseado no maravilhoso apoio vindo das arquibancadas. Porém a equipe teve que se render à forte marcação atleticana e não conseguiu nem finalizar. O Atlético-MG só fez dois lances na etapa inicial e concluiu balançando as redes. No segundo tempo o Sport precisava de um milagre. Mas a deficiência técnica do time não permitiu nem uma reação.

Faltou ousadia ao técnico Givanildo Oliveira. Jogando em casa e precisando do gol, ele já entrou fechado com três zagueiros e dois volantes. E ainda assim tomou dois gols de um time que, táticamente, estava mais retrancado ainda. Depois de está perdendo por 1×0 e com o time jogando mal, não teve a coragem de colocar a equipe para cima do adversário. Poderia ter colocado mais um meia ou outro atacante. Espero com muita tranquilidade até o intervalo para mexer, quando já não era tão possível reverter a situação. O único destaque no time do Sport foi Zé Antônio. O lateral Júlio Cesár e o atacante Dairo provaram que não merecem nem ser titular e se duvidar não merecem vestir a camisa de um time de tradição como o Sport. Jogadores sem raça, o primeiro apoia mal, cruza pior ainda e tem um passe muito ruim. Já Dairo prende muito a bola e não define as jogadas.

O time precisa reagir, faz tempo que o Sport vem caindo de produção. A atuação contra o Atlético-MG nesta partida foi de assustar a qualquer um. Faltando 17 dias para a Série B é preocupante ver a qualidade técnica do time. Será preciso vários reforços para que a equipe possa brigar pelo acesso.

O Sport volta suas atenções ao Campeonato Pernambucano. No domingo, 25, o time vai à Caruaru enfrentar o Central pela semifinal da competição estadual.

A Ilha vai tremer

A Noite desta quarta-feira, 21, vai ser de arrepiar na Ilha do Retiro. Sport e Atlético-MG jogam pela partida de volta das oitavas-de-finais da Copa do Brasil. O Leão precisa de uma vitória por apenas 2×0 para se classificar.O Sport também se classifica com vitória de placares mais elásticos. O Atlético joga pelo empate e até por derrota por um gol de diferença desde que marque um gol. Caso os leoninos vençam por 1×0 a decisão vai para os pênaltis.

A Ilha vai ferver. A torcida rubro-negra promete fazer um grande espetáculo para empurrar o time. Mais de 22 mil ingressos já foram vendidos. A intenção é fazer voltar o Caldeirão que ajudou o Sport a conquistar a Copa do Brasil de 2008.

Para o jogo, o técnico Givanildo Oliveira deve manter a base do time que vem atuando na temporada. A única novidade que pode pintar é a entrada de Pedro Júnior no lugar de Dairo no ataque. Mas o treinador não confirmou a escalação do time. Todos os jogadores treinaram cobrança de pênaltis no último treino da equipe. Ciro, Júlio Cesár, Dairo, Leandrão e Isael foram os que mais se destacaram. Eduardo Ramos, cobrador oficial do time, não foi bem e disperdiçou duas cobranças.

O Atlético-MG também vem completo. Ainda sem poder contar com Obina, Vanderlei Luxemburgo aposta em Diego Tardelli para balançar as redes do Sport. O treinador do Galo também faz mistérios quanto à escalação do time. Fabiano que saiu machucado no jogo de ida, não deve desfalcar a equipe.

O Jogo é difícil, mas o Sport tem totais condições de reverter a situação. O Apoio da torcida será fundamental para o desempenho do time em campo. Portanto torcerdor vá para apoiar o time do ínicio ao fim da partida. Se tiver que protestar, faça apenas após o apito final do árbitro. Acredite até o último minuto de chance. O Sport precisa de você para passar de fase.

Boa Sorte ao Sport!!!

Ficha do Jogo

Copa do Brasil

Oitavas-de-finais

Jogo da Volta

Local: Estádio da Ilha do Retiro, no Recife(PE)

Horário: 21h50


Sport: Magrão; Igor, César e Tobi; Júlio César, Zé Antônio, Daniel Paulista, Eduardo Ramos e Dutra; Ciro e Dairo

Técnico: Givanildo Oliveira

Atlético-MG: Aranha; Benítez, Jairo Campos e Werley; Carlos Alberto, Zé Luís, Fabiano, Júnior (Ricardinho) e Leandro; Muriqui e Diego Tardelli

Técnico: Vanderlei Luxemburgo

Árbitro: Djalma José Beltrami (RJ)

Assistentes: Hilton Moutinho Rodrigues (RJ) e Thiago Gomes Brigido (CE)

Sport perde jogo e invencibilidade

Acabou a invencibilidade do Sport na temporada de 2010. Após 24 jogos sem perder, o rubro-negro da Ilha foi derrotado pelo Atlético-MG por 1×0. Foi o primeiro duelo entre as equipes pelas Oitavas-de-Finais da Copa do Brasil. Com o resultado, o Sport tem que vencer por dois gols de diferença no próximo jogo na Ilha do Retiro. Se devolver o 1×0, a decisão vai para os pênaltis. Qualquer outro resultado classifica o Atlético-MG.

A partida até que começou equilibrada. As duas equipes tiveram chance para abrir o placar. Aos seis minutos, escanteio para o Atlético-MG e Zé Luis cabeceou para grande defesa de Magrão mandando para novo escanteio. Dois minutos depois foi a vez do Sport ter um escanteio a seu favor. Após a cobrança, Igor cabeceou e o goleiro Aranha espalmou de forma brilhante para novo corner.

Depois desse equilibrio incial, o Atlético passou a dominar a partida. Vanderlei Luxemburgo mexeu no time e deixou três atacantes em campo. O time mineiro pressionou por todo o resto da etapa inicial. O Sport se defendia bem na marcação, mas se atrapalhava na saída de bola e no último passe em suas jogadas ofensivas. Aos 32 minutos, Júnior lançou Diego Tardelli que tinha liberdade, mas ele pegou errado na bola e chutou para fora. O Sport só respondeu aos 39 minutos. Após cobrança de falta, Tobi desviou de cabeça e a bola passou muito perto da trave de Aranha.

A Pressão atleticana só veio surtir efeito nos minutos finais. Aos 43 minutos, Júnior fez grande jogada pela esquerda e cruzou. Fabiano apareceu livre na pequena área e cabeceou para as redes, abrindo o placar no Mineirão. Em respeito ao seu ex-clube ele fez uma comemoração discreta. E a primeira etapa se findou com um resultado justo.

No segundo tempo, o Atlético-MG veio com outra proposta para campo. O time passou a esperar mais o Sport e tentar jogar no contra-ataque. O Jogo caiu de nível técnico. As duas equipes marcavam bem. E os rubro-negros, mais interessados em atacar, não tinham muita objetividade em suas investida ofensivas. Poucas foram as chances criadas por ambas as equipes no segundo tempo. A melhor oportunidade de todas foi aos 11 minutos e para o time mineiro. Diego Tardelli passou por três adversários e chutou, mas a bola subiu demais e foi para fora. O Atlético administrou bem o resultado e só apertou nos minutos finais, mas já não tinha força para furar a forte marcação rubro-negra. Assim sendo, o placar não se alterou até o fim do jogo.

Opinião

O Resultado foi justo. O Atlético-MG foi mais ofensivo na primeira etapa e mais objetivo no jogo. O Primeiro tempo foi bom. As duas equipes demonstram muita vontade. Ambas queriam o gol. A mudança do Atlético na metade da etapa inicial fez o time ter mais volume de jogo. Porém a marcação do Sport estava muito boa. No único momento em que houve falha, o Atlético fez o gol. Já o segundo tempo foi muito fraco e chato. O Atlético-MG resolveu esperar pelo Sport. E o time leonino tinha mais posse de bola em seu campo de ataque, porém não finalizava. Os mineiros conseguiram segurar bem o resultado.

O Sport fez uma partida boa. O time só demonstrou um pouco de descuido na saída de bola. Os jogadores prendiam muito a bola e permitiam que os marcadores os cercasse, forçando o erro. Tirando isso e a falta de finalizações, o time se saiu bem diante da pressão mineira.

O resultado foi o melhor de todos os revés possíveis que o Sport poderia sofrer na primeira partida. Fazer 2×0 na Ilha não é coisa difícil. O Sport tem que jogar apenas com mais objetividade ofensiva do que a partida de ida. A marcação foi muito forte e o toque de bola foi bom. Então é manter isso e caprichar no ataque que o leão tem totais condições de reverter o resultado.

As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, 21, às 21h50 na Ilha do Retiro.

Santa Cruz perde de virada

O Santa Cruz não conseguiu segurar o Atlético-GO no Arruda. O tricolor até saiu na frente do placar, mas perdeu de virada por 2×1. O Resultado deixa o tricolor em situação complicada, porém não impossível na Copa do Brasil. No jogo da volta das Oitavas-de-Finais, o Santa terá que vencer por dois gols de diferença. Ou por um gol desde que o placar seja de 3×2 para cima.

O Primeiro tempo começou equilibrado com as duas equipes buscando o gol. Aos seis minutos de jogo, Rodrigo Tiuí recebeu na área, mas bateu por cima do gol de Tutti. O Santa Cruz abriu o placar aos 13 minutos. Gilberto Matuto cobrou falta, a bola passou por todo mundo e quicou na frente do goleiro antes de entrar. O time tricolor se empolgou e partiu em busca do segundo. Aos 14 minutos, Dedé chutou e o goleiro defendeu com o pé. Dois minutos depois, Élvis recebeu, tirou o goleiro da jogada, mas quando chutou viu o zagueiro tirar em cima da linha.

O Atlético-GO acordou a partir dos 20 minutos e voltou a equilibrar. Diante da forte marcação adversária, o Santa não conseguiu produzir mais boas jogadas e só arriscava de fora da área. O Atlético-GO foi cauteloso e soube dar o bote na hora certa. Aos 43 minutos, Thiago Feltri fez boa jogada pela esquerda e cruzou para Robston que subiu para dividir e cabeceou a bola para o fundo do gol. A torcida tricolor sentiu o gol e calou-se por um instante no Arruda.

A Segunda etapa foi dominada pelo Atlético-GO. A equipe goiana criou mais oportunidades e as melhores chances da partida. Aos 11 minutos, Ramalho chutou da entrada da área e assustou. Na cobrança de tiro de meta, o Santa saiu jogando errado. Thiago Feltri aproveitou, roubou a bola e bateu perigosamente para fora. Como o Santa não conseguia vencer a marcação, o time visitante foi se tornando o dono da partida. E a virada no placar era o esperado. E aconteceu aos 25 minutos. Marcão entrou pela lateral e cruzou, a zaga se atrapalhou para cortar e a bola sobrou para Robston bater de primeira para o fundo do gol.

O Santa Cruz sentiu o gol, assim como sua torcida. O time tricolor só reagiu aos 33 minutos em um chute de Gilberto Matuto que passou perto da trave. A resposta atleticana veio quatro minutos depois com Juninho que tentou encobrir Tutti, mas mandou para fora. Aos 39 minutos o goleiro tricolor faz uma grande defesa em jogada de Marcão que entrou cara a cara. O Santa tentou buscar o empate mas não teve força nem qualidade técnica para tal feito.

Opinião

Resultado Justo. Venceu a melhor equipe em campo. O Atlético-GO jogou como quis. Marcou muito bem, puxou contra-ataques com eficiência e teve muito mais posse de bola. O Santa Cruz teve seus cinco minutos de domínio após abrir o placar e foi só. Com o meio de campo sem inspiração para se livrar da marcação e os atacantes apagados na partida, o tricolor não conseguiu criar muito.

A Situação é complicada mas não irreversível. Se o Santa Cruz jogar um futebol parecido com o das partidas contra o Botafogo pode sim surpreender e tirar a vantagem do Atlético-GO. Mas se apresentar o mesmo futebol desta quarta-feira, 14, estará eliminado facilmente.

As duas equipes voltam a se enfrentar na próxima quinta-feira, 22, com o Atlético-GO jogando em casa e pelo empate ou até derrota por 1×0. A partida será às 21hs no estádio Serra Dourada, em Goiás.